Cross Docking: como aplicar este sistema de distribuição e logística em sua empresa

4 Cross docking BLOG - Cross Docking: como aplicar este sistema de distribuição e logística em sua empresa

Cross Docking: como aplicar este sistema de distribuição e logística em sua empresa

Muitos empreendedores começam seus e-commerces em locais bem simples, como por exemplo, na sala de suas casas. Muitas vezes, esse lugar acaba se tornando também o estoque. Assim, começam a surgir as dificuldades, como organizar o armazenamento dos produtos de acordo com a demanda. E então começam os problemas, tais como: o cliente faz o pedido e não tem justamente aquele produto. Nesse caso, é preciso encontrar uma solução econômica, que não comprometa a qualidade do serviço para administrar o estoque. A boa notícia é que o Cross Docking pode ser essa solução.

Cross Docking é o nome dado a um tipo de sistema de distribuição que funciona da seguinte forma: quando alguém compra um determinado produto em seu site, ele é enviado a um centro de distribuição ou um armazém que, por intermédio de um software organizado de redistribuição, o envia para o cliente.

O objetivo da operação é reduzir os estoques a zero e, consequentemente, diminuir os valores perdidos em mercadorias. Essa estratégia permite a entrega do produto seja mais ágil para seu cliente, e que você não precise gastar com espaço físico de estoque, como aluguel de galpões por exemplo.

Em um levantamento feito pela Neogrid, empresa especializada em soluções para gestão de Supply Chain, estima-se que o setor de varejo tenha perdido cerca de R$ 9,6 bilhões com itens que não são vendidos. Destes, cerca de R$ 6,7 bilhões são ocasionados por erros na administração de estoque. Entre outros fatores, é por isso que grandes empresas de varejo têm recorrido cada vez mais ao novo sistema.

No Cross Docking, não existe o armazenamento prévio dos produtos, o que está presente é a filosofia Just in Time nele, as compras dos produtos a serem despachados são realizadas no momento em que o cliente efetua uma compra.

Tipos de Cross Docking

Existem três tipos mais comuns de cross docking nas empresas.

  • Movimentação contínua: mercadorias são recebidas pelo fornecedor e despachadas o quanto antes. É a forma tradicional, que visa evitar o acúmulo de itens em estoque.
  • Movimentação consolidada ou híbrida: as mercadorias são recebidas e separadas. Parte delas pode ser entregue ao cliente final e outra parte pode ser encaminhada ao estoque para combinação com outros produtos que formarão pedidos completos.

O propósito também pode ser apenas o de mesclar o estoque dedicado com o cross docking para ter a liberdade de armazenar na sua empresa apenas os produtos com venda rápida ou baixo valor agregado (que tenham menos custo de armazenamento), enquanto os produtos mais caros ou de baixo giro (que tem mais custos), fazem parte do sistema.

  • Movimento de distribuição: os produtos são recebidos e separados para distribuição em cargas FTL (Full Truckload) para os clientes. Geralmente utilizada para o setor B2B.

Os maiores desafios na implementação

Pode até parecer ilógico, mas o maior risco do cross docking é não conseguir implementar o cross docking. Os desafios são:

  • Definir um bom parceiro de trabalho: Se os processos (loja e fornecedor) não estiverem interligados, o produto pode ser entregue fora do prazo, com erros, ou nem mesmo chegar. E não adianta culpar o fornecedor. É o nome da empresa que será lembrado quando houver problemas. Por isso, é de extrema importância escolher bem quem será seu parceiro de fornecimento.
  • Ter uma boa gestão
    Além dos processos em ordem, a gestão interna deve ser executada sem falhas. É preciso investir em tecnologias para monitorar todos os processos: pedidos, pagamentos, envios, entrega, etc.
  • Relacionamento com fornecedores:
    Além da parte tecnológica, manter um bom relacionamento com os fornecedores é essencial
  • Gerenciamento de crises:
    É impossível ter um negócio e achar que nunca haverá alguma crise. Se houver algum erro na entrega, nunca culpe o fornecedor. Trata-se de um problema interno, que deve ser resolvido pela equipe de relacionamento. Explique a situação e se esforce para resolver o problema de forma transparente e honesta.

Mas o Cross Docking pode ser a solução para seu e-commerce, cumprindo todos os desafios, esse sistema pode ser o seu melhor amigo.

O que eu ganho com o Cross Docking?

Redução de gastos com estoque: Como não será necessário ter um espaço para estocar produtos, com certeza os seus gastos de gestão de estoque vão diminuir.

Agilidade: Nesse sistema, o estoque é substituído por um centro de distribuição, com a única finalidade de gerar eficiência: preparar e reenviar a mercadoria enviada pelo fornecedor o mais rápido possível para o consumidor final. Assim, quem ganha é o seu cliente, que, com tudo fluindo corretamente, receberá sua compra no prazo correto, irá cada fez mais ficar satisfeito, e o processo de fidelização estará cada vez menos complicado.

Evita produto em falta: Na medida em que o fornecedor envia os produtos conforme adquiridos, você não precisará se preocupar com ter ou não o mesmo em estoque. E também não irá precisar de uma previsão de demanda tão fechada.

Cliente satisfeito:  em um mercado extremamente competitivo, um processo que possibilite a entrega mais rápida do produto ao cliente final certamente o deixará mais satisfeito e inclinado a comprar novamente na sua loja virtual.

Antes de implementar a estratégia de Cross Docking, é preciso ter absoluta certeza de que a empresa está preparada e munida de bons fornecedores, caso contrário, o que seria uma vantagem pode se transformar em prejuízo.

Por isso, estude se a empresa está madura o suficiente para essa estratégia e, principalmente: não faça nada às pressas.

Comentários