Written by tom-konduto

The author didnt add any information to his profile yet

A fraude on-line se mostrou um braço bastante importante do crime cibernético ao longo do ano que passou. Vimos uma série de acontecimentos graves, preocupantes e até mesmo curiosos durante 2016, casos que chamaram a atenção até mesmo de quem é especialista no combate a este tipo de golpe.

A Black Friday é uma das datas mais esperadas do comércio, no Brasil e no mundo. É uma oportunidade muito boa para os consumidores, interessados em adquirir produtos com bastante desconto, como também para as lojas virtuais, que aproveitam a época para aumentar as vendas e conquistar novos clientes. Mas como os e-commerces podem alcançar todos esses benefícios sem serem afetados pela fraude on-line de cartão de crédito?

Empreendedores que recentemente começaram a vender pela internet costumam ter um choque quando recebem o primeiro e descobrem que são eles quem deverão fazer o estorno daquela compra ao cliente. É um comentário frequente: “Por que este custo recai sobre o lojista? Eu pensei que, quando o banco emissor do cartão autorizou a transação, eu não teria que me preocupar mais com a fraude…”

Existem inúmeros artigos por aí descrevendo os tipos mais comuns de fraudes no e-commerce. Uma delas é conhecida como fraude amiga, termo que gera uma certa curiosidade, afinal… como uma fraude pode ser considerada “amiga”? Chamamos de fraude amiga aquela contestação que acontece não por malícia, mas sim por confusão do dono do cartão: ele pode muito bem ter feito aquela compra, mas não se lembra.

Todo mundo que administra um e-commerce tem alguns indicadores na ponta da língua: número de pedidos faturados, ticket médio, visitantes únicos, taxa de conversão e assim por diante. Mas, quando o assunto é análise de risco e detecção de fraudes, será que você sabe dizer na lata quais são as principais métricas para saber como vai a sua operação? Confira esses indicadores:

Toda vez que um filme menciona tecnologia, o termo “IP” (Protocolo de Internet, ou Internet Protocol em inglês) é lançado em algum momento do diálogo. Na trama, falar em endereço de IP automaticamente classifica a personagem como alguém que “entende de computadores”. E, na maioria dos casos, é possível rastrear o IP até uma pessoa ou endereço e pegar o criminoso no flagra. Funciona que é uma maravilha… nas telas!

Análise de risco é uma atividade crucial para o comércio eletrônico, e em muitos casos pode ser o diferencial entre um e-commerce bem-sucedido e um negócio que enfrenta dificuldades. No entanto, combater a fraude online não é uma tarefa fácil: o profissional da área precisa ter uma série de conhecimentos, e colocá-los em prática em um espaço bastante apertado de tempo, a fim de não prejudicar a experiência do bom cliente daquela loja virtual.