Written by Bruna Domingos (Koin)

The author didnt add any information to his profile yet

Neste ano, a Ebit espera crescimento de 41% nas compras por meio de smartphones e tablets, elevando a participação dos dispositivos móveis a 32% das transações online. Em 2016, as vendas via feitas nessa categoria concentraram 21,5% das transações, ante 12% em 2015.

Planejar-se de maneira eficiente é fundamental para o sucesso em qualquer atividade, como também é no e-commerce. Após o período de boom das vendas no Natal, as encomendas online tendem a diminuir consideravelmente nas primeiras semanas do ano, do mesmo modo em que os pedidos de devoluções e trocas de produtos aumentam muito.

Embora a economia do País atravesse um momento delicado, as vendas no comércio eletrônico brasileiro seguem melhorando nos últimos meses. Uma prova disso foi o bom resultado das vendas online no Dia das Crianças. Segundo a projeção do Ebit, a expectativa é que o e-commerce registre nesta data sazonal um faturamento de cerca de R$ 1,64 bilhões, aumento de 11,5% em relação ao mesmo período de 2015.

O mês de dezembro vai representar uma mudança drástica para os varejistas online, sobretudo às mais de 40 mil micro, pequenas e médias lojas virtuais em todo o Brasil. Aceito em larga escala por vendedores e compradores, os boletos sem registro, que hoje representam algo em torno de 15% do comércio eletrônico brasileiro, deixarão de ser emitidos.

Nada simboliza mais o distanciamento do modelo tradicional de atendimento ao consumidor do que saudá-lo com “Prezado senhor” quando ele pede ajuda ao suporte. A troca de mensagens entre a empresa e o usuário pode – e deve – ser mais personalizada e intimista, mas mantendo-se o respeito.

“Vai chegar? Posso confiar?” Dúvidas e insegurança sobre a mercadoria adquirida estão entre as causas mais comuns de desistência de compras feitas pela internet. A compra online sempre irá gerar mais incerteza para os clientes, embora o e-commerce venha se consolidando ano a ano.